19 de mai de 2011

Eis que surge a kajira Adira ...

Adira é uma mulher adorável que vive na região do fuso-horário central, então nem sempre nossos horários combinam. Ela é a primeira garota da minha pequena seqüência de duas e ela abrigou minha outra garota, Kira, sob suas asas para ensiná-la não somente sobre Gor, mas muito do que significa ser uma submissa. Sua paciência e compreensão são imensas e verdadeiramente necessárias, às vezes. E muito bem vindas. Então, eis aqui a história de Adira.

"Meu Mestre pediu-me para escrever sobre por que eu escolhi ser uma escrava no Gor Second Life e por que eu ajoelhava a seus pés.. Esta é uma questão complicada para mim e uma das quais eu venho pensando muito ultimamente. Esperei até o último minuto para responder. Ele questionou por que eu não tinha ainda a certeza de como responder. Ser uma escrava é uma escolha pessoal. Desde minhas memórias mais remotas, eu tinha fantasias sexuais que envolviam meu ser numa posição submissa; tendo de me submeter à vontade de outrem. Eu explorei muito este aspecto tanto na vida real quanto online. Agora, minha forma primária de expressar minhas tendências submissas é no Second Life. Às vezes eu tenho a oportunidade de fazer na vida real e aproveito muito essas ocasiões, mas no Second Life é muito mais fácil para mim e há uma gratificação imediata. Assim que faço o login, eu sei o meu lugar. Minha identificação mostra isso. Minha coleira mostra isso. Minha roupa mostra o corpo do meu avatar. É óbvio para qualquer um que vê que ela é uma escrava. Isso não se consegue tão facilmente na vida real. Existem muitos fatores envolvidos na vida real que não estão envolvidos no Second Life. Eu posso fazer coisas no Second Life que eu nunca faria em na vida real que nunca faria por uma série de razões. O Second Life me permite ir além do que eu iria na vida real. Isso é um grande atrativo para mim. Mas o que eu quero especificamente, e porque eu escolhi ser uma escrava no Second Life é porque preenche algo em mim. Ao mesmo tempo em que eu não concordo com todos os princípios do Gor, eu concordo com a maioria deles. Eu acredito em Honra. Eu acredito em Lealdade.. Eu acredito que as pessoas deveriam viver por um código de ética. Essas coisas eu consigo no Gor Second Life. Claramente existem pessoas que não compreendem. Por isso eu demorei tanto tempo para achar um Dono que eu quisesse que me possuísse. Eu não queria qualquer avatar masculino para o meu avatar. Eu queria uma pessoa que entendesse o que significava ser Goreano... e todos os seus aspectos. Eu estava para desistir. Mas então conheci Adam.

Adira idealizou. Eu honestamente pensei que nunca acharia um mestre. Eu gastei tempo nos ambientes Goreanos. Um lugar que eu geralmente detesto. Mas não tinha outras opções que me pusessem na coleira à força. Então, ali eu ajoelhei. Eu o vi e, sendo leitora de perfis como sou, eu li o dele. Ele claramente tem um senso de humor. Mas seu perfil dizia que estava dando um tempo de Gor. Então... por que ele estava ali? Sendo a garota ousada que sou, mandei uma mensagem. Começamos a conversar... ele me atraiu para mais perto. Eu fiquei impressionada com o quanto ele sabe e seus pensamentos sobre Gor e sua filosofia. Nossas idéias geralmente casavam. Isso era um ponto a mais. Estávamos ambos para sair, mas ao invés disso nos juntamos um ao outro. Acho que um convenceu o outro de que havia algo que ainda valesse a pena em Gor. E eis o porquê de eu ajoelhar-me a seus pés e servi-lo. Meu mestre é um goreano honrado. Ele tenta educar e explorar. Ele não teme que eu dê minhas opiniões e me encoraja a ter voz própria. Ele ouve quando eu preciso, mesmo que ele possa não querer. Ele é um bom homem para eu ser possuída por ele, muito embora eu me sinta muito exigente com ele. Há pouco mais de 3 meses que ele me deu a coleira e me fez passar por todas as provas e tribulações, e eu sou orgulhosa de ser dele. Espero que ele esteja feliz de ter me achado também. (Nota do Mestre: ele está).
Espero que isto responda as questões sobre mim – não poderia ser mais concisa."

6 de mai de 2011

por que MASTER?

Vivo e convivo neste meio a mais de 15 anos, desde os velhos tempos do Vahalla da querida BARBARA REINE.
sou do tmpo em que a internet era uma coisa dificil, e era criada a sala de "escravas e submissas" no bate papo de uol.
com o tempo veio o Dommina, o Liben's do meu querido amigo Mister K Rock (saudades daquele cantinho).
e com o tempo vem a sabedoria, claro que eu não seria oq ue sou hoje sem a ajuda de algumas meninas que passaram pela minha vida e trocando conhecimentos comigo.
Então, ao chegar aos 50 anos, decidi que estou pronto para me tornar um Master.

4 de mai de 2011

O inicio

"uma jornada de mil milhas só começa com o primeiro passo"


Voce pode perguntar:
Por que eu dei o primiero passo para criar e alimentar um blog diariamente falando sobre BDSM e principalmente sobre Gor?
E EU te direi:
- O conhecimento tem que ser reapassado.